12 de setembro de 2015

Gostei, mas não resenhei! - Proibido



Oi galera tudo legal com vocês? Comigo está tudo indo muito bem nesses dias e como prometido no último post aqui no blog, vou voltar a atualiza-lo com frequência.

Hoje eu trago a coluna "Gostei, mas não resenhei" é uma coluna que trarei os livros que gostei, mais que na minha mente em parceria com os meus dedos nunca que eu conseguiria resenha-lo e sim é uma coluna já feita por outros blogs, mas acho que surgiu a necessidade da faze-la aqui, por causa de "Proibido" que seria um livro que pra mim seria muito difícil de eu fazer a resenha com o mínimo de qualidade que o livro merece receber.
Sinopse: Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis. Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes. Eles são irmão e irmã. Mas será que o mundo receberá de braços abertos aqueles que ousaram violar um de seus mais arraigados tabus? E você, receberia? Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade.
Dilacerar corações, nos fazer chorar rios, sim esse foi o dever de Tabitha Suzuma ao escrever "Proibido", o livro nos traz a temática incesto, não vou entrar em muitos detalhes sobre a estória, pois a sinopse já nos informa muito bem sobre o que você vai encontrar ao ler Proibido. 

Porquê não resenhei Proibido?

Nunca houve um conflito tão grande no meu interior como houve ao ler o livro, é diferente de tudo que já li em minha vida, eu tive que entender como um irmão pode amar uma irmã - ou vice e versa - sem ser de forma fraternal, como manda as leis da natureza e para conseguir entender isso tive que tentar me colocar no lugar de Lochie a partir do momento que a estória nos faz entender que ele faz o papel de pai daquelas crianças e que aquele amor por Maya pode ter surgido entre os dois resultante da fase em que passam.
O livro vai ser um dos poucos que no futuro eu não vou querer reler, não pelo fato de ser um livro ruim, mais pelo fato da estória nos deixar angustiado, dilacerar com o meu coração e dessa forma me deixar sem chão. O livro que na capa já vem com a seguinte frase "Como algo tão errado pode parecer tão certo?", nos deixa com essa mesma pergunta em mente após o término da leitura, o que o torna perturbador.
Tentei o resenhar várias vezes, mais me faltaram palavras e opiniões concretas, para descrever a incrível obra de Tabitha Suzuma.

Quotes:
"Não há leis e nem limites para os sentimentos. A gente pode se amar tanto e tão profundamente quanto quisermos. Ninguém, Maya, ninguém poderá nunca tirar isso da gente.''
"O corpo humano precisa de um fluxo constante de alimentos, ar e amor para sobreviver. Sem Maya eu perco os três. Morro lentamente."
"Sei tudo e mais alguma coisa sobre ter vergonha de um parente – o número de vezes que desejei que minha mãe agisse como uma mulher adulta em público, já que não fazia em particular. É horrível sentir vergonha de alguém que você ama; é uma coisa que rói por dentro. E, se você deixar que te afete, se desistir da luta e se entregar, a vergonha acaba por se transformar em ódio."
E é isso galera! E ai o que acharam da coluna e do livro?

2 comentários:

  1. Oi Felipe!
    Nossa! Parece que todo mundo que leu se apaixonou por esse livro! É mesmo muito difícil resenhar livros que gostamos muito e ficar com essa sensação de não estar a altura deles.
    Beijos
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Felipe! Tudo bem?
    Nossa, cara! Sei como é difícil resenhar um livro muito bom. As palavras somem.
    Ainda não li esse livro, mas todo mundo que eu conheço e que já leu, amou!!
    Deve ser muito bom mesmo e eu espero poder conferir um dia!
    Abraço
    mundoemcartas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir